• Ricardo Barbosa

Croagh Patrick Mountain - A montanha sagrada da Irlanda


Existem grupos de pessoas que praticam regularmente atividades mais radicais na natureza. Para a maioria das pessoas, este tipo de atividade seria um grande desafio mental e especialmente, físico.

O que dizer então de subir 760 metros por uma montanha, com trechos mais íngremes e caminhos cheios de pedras em uma pequena cidade litorânea de um país estrangeiro com pessoas que nunca fizeram este tipo de experiência?

Foi o que aconteceu em 2 oportunidades, quando o Projeto Viagens da Consciência levou um grupo de pessoas para a cidade de Westport, situada no Condado de Mayo, litoral oeste da Irlanda.

Westport é uma cidade muito procurada para férias ou para quem deseja viver em locais mais tranquilos, longe do agito das grandes cidades e com grande qualidade de vida. Ela possui uma boa rede hoteleira e boas opções de lojas, restaurantes e pubs. Mas é no que ela oferece de passeios que está seu grande encanto. Podemos encontrar diversas alternativas de atividades ao ar livre, como caminhadas, passeios a cavalo, ciclismo e passeios marítimos. A cidade é também um grande centro para esportes de aventura, como corridas, surf, natação e montanhismo.

Centro de Westport - Irlanda

Carrowbeg River - Westport - Irlanda

Mas nós ficamos nesta cidade, não somente pelo que ela oferecia e sim porque ela é a base para chegarmos a Croagh Patrick Mountain, a famosa montanha irlandesa, localizada a 8 km da cidade.

A montanha tem uma tradição de subida que remonta a mais de 5.000 anos, desde a Idade da Pedra até os dias atuais, sem interrupção, quando ela era um lugar de enorme importância na era pré-cristã.

Atualmente, ela é mais conhecida pela sua peregrinação em honra de Saint Patrick, santo padroeiro da Irlanda, que jejuou durante 40 dias no seu topo no ano de 440 dc.

A cada ano, cerca de um milhão de peregrinos, visita o local, sendo a maioria deles em 'Sunday Reek », o último domingo de Julho, quando mais de 25.000 peregrinos sobem até seu topo em um mesmo dia. Lá, encontramos uma capela moderna, onde missa é celebrada e confissões são ouvidas.

Além dos peregrinos religiosos, indivíduos e grupos vêm de todo o mundo e incluem , escaladores de montanha, historiadores, arqueólogos e amantes da natureza.

Croagh Patrick Mountain - Estátua em homenagem a Saint Patrick

O nosso interesse na montanha, além de turismo e contemplação, era essencialmente trabalharmos a nós mesmos.

Em Croagh Patrick Mountain, fizemos uma caminhada meditativa e durante a subida trabalhamos individualmente o desapego de padrões mentais e emocionais que limitavam e atrasavam nossas vidas, deixando esse fardo ao longo do percurso.

É fantástico quando estamos sozinhos, imersos em nós mesmos e em contato direto com a natureza . Neste momento, podemos trabalhar muito de nossos questionamentos e preocupações e aprender a lidar com eles de forma franca e direta, sem fugas ou ilusões, somente abrindo nossos corações e deixando que as respostas venham naturalmente.

Nossa aventura começou bem cedo quando saímos do hotel, depois de um café da manhã reforçado e estacionamos os carros no Centro de Visitantes que dava acesso a montanha. Depois de uma pequena conversa com Dora M. Bentes para alinharmos os trabalhos e alguns alongamentos depois, começamos a subida da montanha, com cada um fazendo o percurso de acordo com suas condições físicas e mentais, pois não importava chegar ao topo, mas sim trabalhar a si mesmo durante o contato com ela.

Centro de Visitantes - Croagh Patrick Mountain

O tempo (nas duas visitas) estava tipicamente irlandês, ou seja, sol, chuva e vento ao mesmo tempo, mas a temperatura estava bem agradável, beirando os 15 graus, sendo um pouco mais frio no topo da montanha, devido ao vento e a altitude.

Aliás, para chegarmos ao topo, passamos por 3 níveis na montanha, o inicial, meio íngreme e com uma trilha com pedras e um pequeno riacho com vegetação, o trecho do meio, meio plano, com poucas pedras e vegetação e o trecho final, bem íngreme e com trilha toda de pedras e nenhuma vegetação.

Croagh Patrick Mountain - trecho inicial de subida

Croagh Patrick Mountain - trecho mais plano

Croagh Patrick Mountain - trecho final

Nas 2 vezes que fomos a este local, menos da metade das pessoas dos grupos chegou ao topo e foram premiados com uma vista de emocionar, quando as nuvens permitiam, é claro! Chegar até lá levou em média de 2 a 3 horas, mas o percurso todo, de ida e volta levou em média de 4 a 6 horas, dependendo da condição de cada um.

No topo da Croagh Patrick Mountain - capela

O que terminavam sua jornada, dentro de seu tempo, retornavam ao Centro de Visitantes e esperavam o restante do grupo. Aliás, o Centro de Visitantes é como todos que visitamos na Irlanda, um local onde pudemos comer, beber, descansar e comprar lembranças, tudo de forma, limpa e muito organizada.

Até reunirmos todo o grupo, levamos o dia todo, pois cada um tinha seu ritmo de subida e descida.

Depois que todos estavam juntos, pegamos os carros e voltamos para Westport, para um bom banho e descanso no hotel, mas ainda teríamos o resto da tarde e a noite para trocarmos as experiências e para aproveitarmos um delicioso jantar nos restaurantes ou pubs da cidade.

Grupo de viagem 2015

Grupo de viagem 2016

No dia seguinte seguiríamos para nosso próximo destino, a Grã Bretanha.

Na viagem de 2015, seguimos para Belfast, na Irlanda do Norte e de lá para Edinburgh, na Escócia.

Em 2016, fizemos diferente. Voltamos a Dublin e de lá fomos para o País de Gales.

Nos próximos blogs contaremos como foram estas experiências.

Projeto Viagens da Consciência®

Centro de Desenvolvimento Dora M Bentes

Informações e Inscrições:

WhatsApp: (11) 98651-1224

Rua dos Jacintos, 233 | São Paulo. SP | (11) 5585.0585


Rua dos Jacintos, 233

Mirandópolis - São Paulo/SP

04049-050

  • Instagram
  • Facebook
  • You Tube
  • LinkedIn

© 2020 Todos os direitos reservados. Centro de Desenvolvimento Dora M Bentes®