• Bianca Lauria

O sino toca: é hora de interpretar os símbolos


Entender as mensagens do universo e contar com apoio nesse caminho, pode te levar mais longe do que imagina

Moro ao lado de um templo budista. Todos os dias às 18h o sino deste templo toca. Se eu estou em casa, paro. Ouço. E aproveito para refletir: como foi o meu dia? Quais foram as personagens que eu encontrei? Que conversas tivemos?

Todos os dias vivemos uma história e se olharmos para ela com a curiosidade e imaginação de uma criança, podemos ir muito além dos acontecimentos em si. Sem julgamento, temos a possibilidade de encontrar um significado para aqueles momentos que não estavam previstos no nosso dia. A apreciação de um desenho na parede que me lembrou uma pessoa querida; Um cheiro que me transportou a memórias antigas; Ou mesmo um pequeno acidente que me fez reexperimentar uma sensação que eu não gostaria de ter sentido.

A cada dia nos deparamos com situações que podemos remeter a símbolos, como os que aparecem em uma carta do tarô. O tarô é um baralho de símbolos arquetípicos e é por isso que, mesmo utilizando desenhos antigos, ainda conseguimos nos identificar com eles e compreender questões da nossa vida com um pouco menos de zoom.

Certa vez, uma amiga querida me disse que dividir nossas questões com outras pessoas nos ajuda, pois é como tentar encontrar a saída certa naquele jogo de um labirinto desenhado no papel. Enquanto nós estamos dentro do labirinto, com toda a angústia que essa experiência proporciona, a pessoa vê de fora e consegue enxergar a possibilidade de uma saída.

As cartas, quando colocadas na mesa, criam essa possibilidade da leitura: a de alguém que, em conexão com você, pode ver a questão de fora. E isso ajuda a trazer para consciência os possíveis caminhos que não estamos conseguindo enxergar.

A cada badalada, me lembro da importância de estar presente e atenta. É um exercício diário. Reconhecer os símbolos que estão presentes no meu dia a dia. E buscar o auxílio de alguém com quem eu possa compartilhar esses símbolos quando estiver difícil montar a narrativa da história maior que eles querem me contar.

Bianca Lauria é formada em Relações Internacionais. Atualmente, estuda e atua como Terapeuta Holística, com as técnicas de Barras de Access®, Reflexologia, Tarô, com o propósito de auxiliar as pessoas que buscam por aprimoramento pessoal e cura.

#símbolos #arquétipos #reflexão

Rua dos Jacintos, 233

Mirandópolis - São Paulo/SP

04049-050

  • Instagram
  • Facebook
  • You Tube
  • LinkedIn

© 2020 Todos os direitos reservados. Centro de Desenvolvimento Dora M Bentes®