• Daniella Prevot

A angústia de não saber o que fazer


Nessa última semana, nos processos de coaching e nos almoços da firma, as pessoas têm me procurado para conversar sobre não saber o que fazer. Troco de emprego? Presto um concurso? Me mudo para o interior? Começo um hobbie novo? Viajo? Termino com ele? Fico com ele? Mas, e se der errado? E se der certo?

A angústia é tão grande que paralisa porque, afinal, em um mundo tão cheio de possibilidades, onde tudo é possível, não há nada mais frustrante do que não saber o que fazer.

Para piorar, parece que se soma à essa angústia a autocobrança de que nós já deveríamos saber o que fazer, afinal de contas prestamos o vestibular, já trabalhamos, somos adultos…

Ou que escolher um caminho é abrir mão de outras tantas possibilidades e estaremos com certeza escolhendo o trajeto errado. Esse pensamento era o que mais me acompanhava noite e dia, eu ficava refém da minha própria luta interna entre a expectativa de ter uma vida incrível e do medo de errar o próximo passo em direção à ela.

Mas aí veio a grande descoberta: eu simplesmente não sabia que vida é essa que eu queria ter.

Eu sofria muito porque precisava definir uma estratégia, uma rota, um caminho e não percebia que faltava nessa equação o ponto essencial da jornada: onde quero chegar.

Quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável

Sêneca falou isso há 2 mil anos e eu só entendi agora! Bem, depois que eu fui perceber que isso não acontece só comigo, resolvi escrever esse texto.

Quando nos cobramos de ter que fazer algo sem a clareza do para quê estamos fazendo, qualquer passo é incerto quanto ao resultado.

O que fazer só tem sentido depois de termos consciência de onde queremos chegar, ou o que queremos construir. Podemos chamar esse lugar de objetivo e essa clareza de propósito.

Em outras palavras, não adianta a gente querer saber COMO fazer um bolo se nem sabermos se é isso que queremos. Pode ser um brownie, uma torta, ou até uma picanha! O primeiro passo é descobrir o que se quer comer!

Está se sentindo exatamente nesse momento? O processo coaching pode te ajudar e muito a encontrar a sua clareza, vem se conhecer e reconhecer em que porto você que chegar ❤️.

Daniella Prevot é astróloga, coach e aplicadora de Jin Shin Jyutsu®. Trabalha com leitura de mapa astral, florais Joel Aleixo e meditação em suas consultas.

#coaching #escolha #possibilidades #propósito

Rua dos Jacintos, 233

Mirandópolis - São Paulo/SP

04049-050

  • Instagram
  • Facebook
  • You Tube
  • LinkedIn

© 2019 Todos os direitos reservados. Centro de Desenvolvimento Dora M Bentes